13 de maio

Abolição: concessão ou revolução?

A Revista de História da Biblioteca Nacional fez uma interessante pauta sobre o 13 de maio.

A revista pediu ao professor Renato Venâncio da Universidade Federal de Minas Gerais que fizesse um passeio pela biblioteca digital do Senado com indicações do que ler sobre o dia 13 de maio, sobre a luta abolicionista e o fim do trabalho escravo no Brasil.

Esse passeio pela web é pode ser visto clicando aqui.

– – –

13 de maio, uma data quase esquecida

O debate historiográfico sobre essa data é intenso.

Uma parcela dos pesquisadores criticam a data.

A o dia da abolição sempre apresentada nas escolas como uma “concessão” bondosa do regime monárquico, dada pela futura imperatriz brasileira, Princesa Isabel.

E por isso reivindicam a data-símbolo para resistência negra no Brasil ser o dia 20 de novembro dia nacional da Consciência Negra e data da “imortatalidade de Zumbi de Palmares”, hoje feriado em muitas cidades brasileiras.

Com toda a certeza, 20 de novembro é uma data fundamental, pois lembra o maior Quilombo do Brasil, o Quilombo de Palmares e a ação dos escravocratas para destruir a resistência negra, com uso dos Bandeirantes paulistas para acabar com essa cidadela da liberdade no território do Brasil.

Minha impressão é que 13 de maio é uma importante data para o Brasil e não pode ser esquecida.

Não por causa de uma pretensa bondade da Monarquia. Essa não tinha nada de boa e sempre foi, até o último suspiro, defensora da ordem escravocrata e cujo Lei Aurêa

Cena de açoite de escravos no Brasil no quadro de J.B. Debret “Castigo no Pelourinho”.


Na verdade, penso como aqueles autores que afirmam que 13 de maio de 1888 foi um marco na história brasileira, não pela “bondade”, mas pela força da luta abolicionista que nos últimos anos do escravismo, minou a ordem e promoveu uma verdadeira ruptura social.

Sobre isso o professor e historiador gaúcho Mário Maestri tem um extraordinário artigo “13 de maio: A única revolução social do Brasil (clique no título para ler na integra).

O artigo é de 2005, mas segue sendo uma das melhores caracterizações do 13 de maio que já lí. Vejam alguns trechos:

Neste 13 de maio, cumpre-se sem glória mais um natalício do fim da escravatura no Brasil, uma das primeiras nações americanas a instituir e a última a abolir a escravidão. Dos 505 anos de história brasileira, mais de 350 passaram-se sob o látego negreiro. Apesar da superação do escravismo constituir o mais significativo acontecimento de passado nacional, o aniversário da Abolição transcorrerá, outra vez, semi-esquecido.

Mais adiante ele escreve:

Apesar de bem-intencionadas, essas leituras consolidaram as interpretações do 13 de Maio dos ideólogos das classes proprietárias, que procuravam escamotear o sentido de sucessos nascidos do esforço das massas escravizadas aliadas aos setores abolicionistas radicalizados. Assentavam assim a última pedra na construção do esquecimento do mais importante acontecimento histórico brasileiro – a revolução abolicionista de 1887-8.

Vale a pena ler esse artigo sobre importante data na história.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s