Ler e evitar “decorebas”; veja dicas de aprovados para o Enem

Matéria publicada pelo Portal Terra.

Estudar depois do cursinho? Prestar atenção em aula? Ler bastante? Para ir bem no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), não há uma única fórmula. A prova deste ano será realizada nos dias 22 e 23 de outubro, em todo o País. Para ajudar na preparação para o exame, reunimos três histórias de estudantes que se deram bem no ano passado e hoje cursam o ensino superior. Confira, a seguir, alguns dos “segredos” desses universitários.

“Não se preocupe com decorebas”

Primeiro colocado do Programa Universidade para Todos (ProUni) na Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR) e terceiro na Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), em ambas para Engenharia Elétrica, Matheus Lincoln, 23 anos, escolheu cursar a graduação na faculdade particular. Ele conta que começou a estudar para o Enem ainda no terceiro ano, quando tinha tempo apenas para frequentar o cursinho nos finais de semana e não conseguia revisar o material em outros dias. “Eu tinha que prestar bastante atenção na aula, para não precisar rever (o conteúdo) em casa”, conta.

Ele afirma que o principal foco dos seus estudos foram as exatas, como matemática e física, além de interpretação, pois auxilia ao longo da prova e na redação. De acordo com Lincoln, ler foi um dos seus grandes diferenciais, pois assim conseguiu extrair mais informações dos enunciados e resolvê-los em menos tempo. O universitário também conta que um dos segredos para se dar bem no exame é não estar preocupado em decorar fórmulas nem nomes. “As pessoas têm que saber o conceito da disciplina, porque é isso que o Enem cobra”, afirma. Outra dica, na hora de estudar, é com relação à ordem das matérias. “Eu começava com as que eu mais gostava, assim, ia motivado para as que tinha mais dificuldade. Também, logo depois que revisava um conteúdo, eu fazia os exercícios, pois é uma boa maneira de fixá-los”, conta. Lincoln também acredita que é benéfico para o estudante realizar a redação antes do restante da prova, pois, menos cansado, o candidato tende a escrever melhor.

“Tem que ler uma biblioteca inteira”

Carlos Viana, 19 anos, atualmente cursa Publicidade e Propaganda na Universidade Federal do Pampa de São Borja (Unipampa), no Rio Grande do Sul. Ele ingressou na faculdade graças à sua pontuação no Enem e conta que priorizou, durante os estudos, a leitura de diversos jornais, revistas e livros. “Ajudou bastante a entender algumas perguntas da prova, além do mais, o exame tem questões extensas, isso também me auxiliou a não cansar muito”, afirma.

Viana também destaca a importância que deu à escrita. Ele tentava escrever o máximo que podia, sobre assuntos que via diariamente. “Isso deu certo pra mim, pois quando eu vi a redação de 2010, sobre trabalho e dignidade humana, eu lembrei que já tinha escrito sobre um tema parecido, até mesmo usei alguns argumentos”, conta Viana.

“É difícil, mas tem que relaxar”

Estudos de manhã, de tarde e à noite. Essa era a rotina de Caio Cesar Barbosa, 19 anos. No começo do dia, ele ia para escola, de tarde, para o cursinho, e, quando chegava em casa, arranjava tempo para revisar alguns conteúdos. Esse hábito fez com que Barbosa passasse na Universidade Mackenzie, de São Paulo, em Direito, através do Enem, no ProUni.

À noite, Barbosa preferia estudar conteúdos que tinha mais facilidade, para assim reforçar os assuntos com maior possibilidade de obter melhor pontuação no exame. As matérias mais difíceis ficavam para a sala de aula, onde contava com o auxílio dos professores. Para o universitário, o principal motivo do seu sucesso no Enem foi a sua tranquilidade durante a prova. “Eu estava bem calmo na hora do exame, fiz sem nervosismo e acabei indo bem. No mesmo ano, realizei o vestibular da Fundação Universitária para o Vestibular (Fuvest), mas fiquei muito nervoso, daí fui pior”, relata.

Durante o Enem, Barbosa usou um método que seu professor de português ensinou. “A primeira coisa que fiz foi olhar a redação, depois fiz o resto da prova. Isso me ajudou bastante, pois algumas perguntas eu pude relacionar com o tema, isso me deu ideias que consegui usar na hora de escrever”, afirma.

Anúncios

Um pensamento sobre “Ler e evitar “decorebas”; veja dicas de aprovados para o Enem

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s