DICAS DE ESTUDO • CURSO DE REDAÇÃO

Profª Ana Paula Dibbern (apdibbern@gmail.com)
Profº Alexandre Linares (ativando.neuronios@gmail.com)
[ Mande suas sugestões, dúvidas, dicas e reclamações! – Pode mandar elogios também! ]

AULA “REDAÇÃO E IDEOLOGIA” 
CONTINUANDO A AULA
Na aula passada, quando debatemos “Redação e Ideologia”, citamos o filme “A Onda”. Esse filme fala sobre como as pessoas podem ser manipuladas sem perceber a manipulação.
O filme A ONDA na sua versão alemã (Die Welle – 2008) pode visto aqui: https://www.youtube.com/watch?v=QBKEi8qamKM
O filme A ONDA em sua versão feita nos Estados Unidos (The Wave – 1982)  pode ser visto aqui: https://www.youtube.com/watch?v=36Rsp2aQnK4
Documentário “A Terceira Onda – Fascismos Na Escola
Um documentário produzido sobre a história original que serviu como base para os filmes citado. Ele foi produzido pelo canal History sobre a experiência levada em uma escola em Palo Alto, na Califórnia (EUA). A descrição do filme ajuda a ver a experiência Em 1967, Ron Jones, um jovem professor de História californiano, criou um estado fascista virtual dentro do seu instituto. O seu objetivo era afastar os seus alunos dos atrativos do totalitarismo e do sentimento de pertença a um grupo. Desta forma pôs em funcionamento uma audaz experiencia social que superou as suas melhores expectativas, ou melhor, os seus piores pesadelos. Os estudantes envolvidos, 30 no princípio, passaram a ser 200. Entre eles cumprimentavam-se de uma forma específica e havia uma série de informantes que agiam como membros da Gestapo. Era, em suma, uma fiel recriação das raízes do Terceiro Reich. O grau de furor que Jones provocou serviu para distanciar os seus alunos de uma crescente onda de relativismo moral, mas à custa dos estudantes ficarem marcados na vida pela lembrança nefasta do que tinham levado a cabo. Esta experiência, denominada como a Terceira Onda, foi um simples episódio na História, mas que nos serve a todos como um alerta permanente.
 
DIREITOS HUMANOS E REDAÇÃO
 
Na aula foram indicados dois documentos fundamentais para definição de parâmetros sobre os Diretos Humanos, úteis para ajudar na formulação de propostas de acordo com o 5º eixo cognitivo da Matriz do ENEM que propõe ao aluno “Elaborar propostas éticas – Recorrer aos conhecimentos desenvolvidos na escola para elaboração de propostas de intervenção solidária na realidade, respeitando os valores humanos e considerando a diversidade sociocultural“.
Recomendamos fortemente a leitura deles para uma compreensão clara deste importante conceito.
Declaração dos Direitos Humanos da ONU
(Aprovada em 1948)
 
Constituição da República Federativa do Brasil (1988)
(Título 2 “Dos Direitos”, artigos 5º ao 17º) 
 
SOBRE A PROPOSTA DE REDAÇÃO
“VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA A MULHER”

Ficamos de mandar as sugestões para estudo em casa e material de apoio para reflexões acerca dos temas das propostas de redação apresentadas nas aulas.

A proposta entregue na última aula “Violência sexual contra a mulher” é um questão social permanente. A questão já esteve presente na redação do ENEM em 2015 cujo tema foi “A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira”.

Na proposta apresentada em aula, há um elemento específico: não é violência em geral, mas a “violência sexual”.

Para a Organização Mundial da Saúde (OMS), violência sexual é “qualquer ato sexual ou tentativa de obter ato sexual, investidas ou comentários sexuais indesejáveis, ou tráfico ou qualquer outra forma, contra a sexualidade de uma pessoa usando coerção”.

Segundo a “Coordenadoria da Mulher” do Tribunal de Justiça de Sergipe “A violência sexual está baseada fundamentalmente na desigualdade entre homens e mulheres. Logo, é caracterizada como qualquer conduta que constranja a mulher a presenciar, a manter ou a participar de relação sexual não desejada; quando a mulher é obrigada a se prostituir, a fazer aborto, a usar anticoncepcionais contra a sua vontade ou quando a mesma sofre assédio sexual, mediante intimidação, ameaça, coação ou uso da força; que a induza a comercializar ou a utilizar, de qualquer modo, a sua sexualidade.

Essas definições ajudam a encarar o problema de modo mais preciso.

Abaixo, enviamos vários textos para você saber mais sobre o tema e ajudar no domínio do assunto.

Um forte abraço!

Professor Alexandre Linares

SAIBA MAIS!

O que ler para entender mais sobre o assunto? Aqui vão algumas sugestões:

Dossiê violência contra as mulheres – Capítulo: Violência Sexual
Trabalho organizado pela Agência Patrícia Galvão.
http://www.agenciapatriciagalvao.org.br/dossie/violencias/violencia-sexual/

Violência contra a mulher: entenda o que é a cultura do estupro
Artigo de Ana Elisa Santana para o portal da Agência Brasil (2016)
http://www.ebc.com.br/cidadania/2016/06/o-que-e-cultura-do-estupro

• Apenas 35% dos casos de estupro no Brasil são notificados
Reportagem da Revista Época (2016)
http://epoca.globo.com/tempo/noticia/2016/05/apenas-35-dos-casos-de-estupro-no-brasil-sao-notificados.html

Estupro no Brasil, uma radiografia segundo os dados da Saúde (2014)
Estudo do Instituto de Pesquisa Economica Aplicada (IPEA) baseada nos relatórios do sistema de saúde brasileiro.
– Os registros mostram que 89% das vítimas são do sexo feminino e em geral têm baixa escolaridade.
– Do total, 70% são crianças e adolescentes. Em metade das ocorrências envolvendo crianças, há um histórico de estupros anteriores.
– 70% dos estupros são cometidos por parentes, namorados ou amigos/conhecidos da vítima.
http://www.agenciapatriciagalvao.org.br/dossie/pesquisas/estupro-no-brasil-uma-radiografia-segundo-os-dados-da-saude-ipea-2014/

Brasil tem 1 denúncia de violência contra mulher a cada 7 minutos
Reportagem do jornal O Estado de S. Paulo
http://brasil.estadao.com.br/noticias/geral,brasil-tem-1-denuncia-de-violencia-contra-a-mulher-a-cada-7-minutos,10000019981


• Prova em caso de violência sexual: a maior barreira é a ideologia patriarcal, afirma juiz do TJSP
Em entrevista, juiz do Tribunal de Justiça de São Paulo explicando aspectos importantes da questão da interpretação legal de provas e da realidade da mulher vítima de violência sexual
http://www.compromissoeatitude.org.br/prova-em-caso-de-violencia-sexual-a-maior-barreira-e-a-ideologia-patriarcal-afirma-juiz-do-tjsp/


• 
Credibilidade da palavra da vítima como prova de violência sexual
Artigo da juíza Kenarik Boujikian
http://www.compromissoeatitude.org.br/credibilidade-da-palavra-da-vitima-como-prova-de-violencia-sexual-por-kenarik-boujikian/

CASOS COM GRANDE REPERCUSSÃO

• Estupros coletivos e feminicídio: O Caso de Castelo do Piauí
http://www.compromissoeatitude.org.br/estupros-coletivos-e-feminicidio-o-caso-de-castelo-do-piaui/

• Caso Roger Abdelmassih: médico cometia abusos sexuais em clínica de fertilização
http://www.compromissoeatitude.org.br/caso-roger-abdelmassih-medico-cometia-abusos-sexuais-em-clinica-de-fertilizacao/


BAIXE OS ARQUIVOS DAS APRESENTAÇÕES
Os arquivos das aulas estão disponíveis no site:
https://ativandoneuronios.com/curso-de-redacao-maximize/

VEJA AS PROPOSTAS DE REDAÇÃO
Também disponibilizamos os arquivos das propostas de redação:

História do Brasil – Colônia, por Boris Fausto

Boris Fausto foi professor e procurador da USP. Entre seus livros está uma obra fundamental “A Revolução de 1930”, essencial para entender as transformações ocorridas no final da República Velha, que vão levar ao regime de Getúlio Vargas.

Para os estudantes, seu trabalho fundamental é “História do Brasil”, obra de síntese da história brasileira. Livro de grande porte, com mais de 600 páginas editado pela Editora da Universidade de São Paulo (Edusp) é uma de referência para os formuladores das questões do ENEM e dos principais vestibulares. O livro custa R$ 105,00. Edições usadas podem ser encontradas no site Estudante Virtual a preços mais acessíveis. Há uma edição concisa (reduzida) bem mais barata que ajuda o estudante a ter o domínio da maior parte das informações necessárias para encarar o vestibular.

Em 2002 a TV Educação, canal de TV do Ministério da Educação fez uma fabulosa produção com o próprio  Boris Fausto narrando os principais pontos do livro, com muitas ilustrações. Coisa de primeira.

A cada aula de história do Brasil, vamos explorar os diferentes episódios. Hoje publico o primeiro: Brasil Colônia. Assistam pois vale a pena.

ENEM 2017 – Não esqueça de fazer sua inscrição

Galera, não percam o prazo para se inscrever para fazer a prova do ENEM 2017. É o meio para o acesso as universidades federais pelo Sistema de Seleção Unificada (SISU), ao Programa Universidade para Todos (PROUNI) que viabiliza bolsas de estudos em universidades privadas e ao Programa de Financiamento Estudantil (FIES) que financia o estudo em universidades privadas.

TAXA DE INSCRIÇÃO
Para quem está no 3º ano do Ensino Médio a inscrição é gratuita. Para alunos que do 1º e 2º anos do Ensino Médio que querem fazer como treineiros e para alunos que já se saíram do ensino médio devem pagar a taxa de inscrição que sofreu um aumento de 20% do ano passado para esse. Agora o preço é R$ 82,00.

COMO FAZER?
Vá no site do ENEM e siga as instruções: http://enem.inep.gov.br

NÃO ESQUEÇA!
Não esqueça de pagar o boleto da Guia de Recolhimento da União (GRU) da taxa do ENEM. Se esquecer de pagar, e não estiver no 3º ano do Ensino Médio, fica de fora.

HÁ TEMPO PARA ESTUDAR!
Faltam ainda 179 dias para a prova do ENEM. Um tempo que bem aproveitado permite você ir bem. Para aproveitar esse tempo, você deve organizar seu plano de estudo e focar sua concentração nele. APROVEITE!

Catadora de lixo de Volta Redonda passa em Direito na UFF

JM Coelho
Maria Nazaré disse que escolheu o Direito para poder defender as mulheres e principalmente outras catadoras
Objetivo: Maria Nazaré disse que escolheu o Direito para poder defender as mulheres e principalmente outras catadoras


Volta Redonda

Um exemplo de superação e persistência. É assim que pode ser definida a história da catadora de lixo, Maria Nazaré dos Santos. Com 55 anos, a moradora de Volta Redonda estudou sozinha, e contra todas as adversidades, conseguiu ser aprovada no vestibular da UFF (Universidade Federal Fluminense), através da nota do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) e agora cursa Direito na instituição.

Natural de Viçosa, em Minas Gerais, Maria Nazaré contou que estudava sempre à noite, duas horas por dia, além de buscar dicas com outras pessoas.

– Começava 23h, quando estava em casa e ia até 1h da manhã. A ficha está começando a cair e junto com ela vai vir à responsabilidade. Eu não imaginei que iria passar. Além do material que eu tinha para estudar, eu procurava conversar com pessoas que tem estudo e sabem como funciona a prova para pegar dicas de como fazer a prova. Sabia que a redação era a mais complicada e por isso me dediquei mais nesse quesito – falou Maria Nazaré, lembrando que mesmo estudando até de madrugada, tinha que acordar às 6h para trabalhar.

Além da faculdade, ela divide o tempo com a presidência da Cooperativa Multifuncional de Catadoras do Sul Fluminense, onde coordena outras 14 mulheres. Segundo ela, o ingresso na faculdade e o novo cargo na cooperativa, são apenas fruto de uma caminhada que começou no ano 2000, quando começou a trabalhar em Volta Redonda.

Ela contou que como parou de estudar na 6ª série do Ensino Fundamental, resolver retomar os estudos após 18 anos longe das salas de aula. Para isso, ela se inscreveu em um supletivo.

– Quando resolvi voltar a estudar eu trabalhava lá no final da Cicuta, perto da UBM e usava o horário do almoço para poder ler as matérias. Saía do trabalho umas 17h e ia andando até o Conforto e aproveitava o caminho para também poder estudar, mesmo andando. Tenho essa facilidade para poder aprender as coisas e consegui terminar o Ensino Fundamental – disse ela, que também concluiu o Ensino Médio através de um supletivo.

– A conclusão (do Ensino Médio) me proporcionou uma carteira assinada que eu nunca havia tido na minha vida. Nunca é tarde para começar a mudar a sua vida e voltar a estudar. Para conseguir alguma coisa tem que se sacrificar e foi isso que eu fiz e consegui – completou, orgulhosa do feito.

Continuar lendo

Palestrante da Feira GE dá dicas para o Enem

Texto: Gabriela Portilho, do site do Guia dos Estudante

O Enem se aproxima e, sendo uma dos exames mais importantes do país, é importante se preparar com antecedência. Mas qual o melhor modo de estudar para o exame?

No dia 30 de agosto, às 17h20, o professor de Ciências Humanas, História e Atualidades, Alexandre Linares, do blog Ativando Neurônios, fará uma palestra com dicas para aqueles que querem se preparar para as provas e obter os melhores resultados.

Para já ir aquecendo, ele elencou as 5 dicas fundamentais para quem vai encarar o Enem

Saiba aonde você quer chegar

Se você souber qual curso de graduação quer fazer e em qual universidade, você tem condições de organizar melhor seu plano de estudos, sabendo qual a nota necessária para você alcançar seu objetivo. Dessa forma você compreende melhor o grau de dificuldade para alcançar o seu objetivo e se prepara para encará-lo de modo mais preciso.

Tenha paciência e calma

O nervosismo é um obstáculo particular que deve ser encarado. A ansiedade tira o foco, desconcentra e desequilibra aquele que vai encarar a prova em todos as fases de preparação. Por isso, dome essa fera. Tenha em mente, que apesar da importância, a prova do ENEM não é questão de vida ou morte, afinal, todo ano tem ENEM. Então, cultive a paciência e mantenha a calma. Isso te dará a concentração necessária durante a prova.

Rotina, amiga, rotina

Se preparar para o ENEM exige disciplina e rotina de estudo. Ao ter uma rotina detalhada de estudos e bem planejada você consegue acompanhar melhor sua evolução. Faça um calendário até a data da prova cobrindo os pontos fracos e reforçando os pontos fortes do seu aprendizado. E nessa rotina, inclua a diversão e o descanso, de modo moderado, pois ninguém é de ferro, claro.

Encare as provas anteriores

O mapa do tesouro do ENEM está nas provas anteriores. Mais precisamente as provas a partir do Novo ENEM (2009 em diante). Isso porque a produção de questões do ENEM utiliza uma matriz de referência (link: http://portal.inep.gov.br/web/enem/conteudo-das-provas). Essas provas estão disponíveis (link : http://guiadoestudante.abril.com.br/vestibular-enem/prepare-se-enem-refazendo-provas-anteriores-784410.shtml) e são a melhor forma de se preparar. Faça as provas, verifique os gabaritos e descubra os assuntos e temas que você domina e aqueles em que precisa melhorar. Como os temas tendem a reaparecer com novas formulações a cada prova, se você dominar o conteúdo já aplicado, terá mais chances de acertar as novas questões.

Treine fazer redações

Um bom resultado na redação puxa sua nota para cima. Por isso, é nela que você pode fazer a diferença. Para isso é preciso treinar mesmo. Treine fazer no tempo de uma hora, que é mais ou menos o que você terá na hora da prova. Lembre-se que esse tempo inclui rascunho, passagem a limpo e revisão. Um bom caminho é buscar todas os temas de redações anteriores do ENEM. Use o dicionário para desvendar os enunciados das redações nos mínimos detalhes e vá treinando. E, nunca, nunca encha linguiça na redação, isso não ajuda.

Se você quiser saber mais sobre esse expert em provas do Enem e tirar pessoalmente as suas dúvidas, não pode perder sua palestra de Alexandre Linares na Feira do Guia do Estudante.

Faça já sua inscrição!
Palestra: Como se preparar para o Enem? | Alexandre Linares
Data
: 30 de agosto | 17h20
Local: Expo Center Norte, São Paulo

INEP divulga as maiores e menores desempenhos no ENEM

Veja a nota divulgada pelo Instituto Nacional de Estudos Pedagógicos Anísio Teixeira (INEP):

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulga nesta sexta-feira, 17, os desempenhos máximo e mínimo em cada uma das quatro áreas do conhecimento avaliadas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2013. Desde 2009, a proficiência dos participantes do Enem é calculada por meio da Teoria de Resposta ao Item (TRI).

Em Matemática e suas tecnologias a nota máxima foi de 971,5. Nesta área, o menor desempenho foi de 322,4 pontos. Ciências da Natureza registrou a nota máxima de 901,3 e a menor foi de 311,5. Já em Ciências Humanas, o desempenho máximo chegou a 888,7 e o mínimo ficou em 299,5. A prova de Linguagens e Códigos teve como nota mais alta 813,3 pontos e a menor pontuação ficou em 261,3.

“Os valores divulgados correspondem ao menor e ao maior desempenho dentre todos os participantes do exame, em cada área da prova”, explica o presidente do Inep, Luiz Cláudio Costa. No sistema da TRI a nota mínima não é zero e a nota máxima não é 1000. “Os participantes que deixam a prova em branco ou erram todas as questões da prova recebem a nota mínima correspondente ao seu caderno de prova”, complementa Costa.

TRI – Além de estimar as dificuldades dos itens e as proficiências dos participantes, essa metodologia permite que os itens de diferentes edições do exame sejam posicionados em uma mesma escala. Cada uma das quatro áreas do conhecimento avaliadas no Enem possui uma escala própria.

Para cada uma das quatro áreas do conhecimento avaliadas no Enem, as notas mínimas e máximas são diferentes. Isso ocorre porque os valores de mínimo e máximo dependem do nível de dificuldade das questões da prova. Como as questões não são as mesmas em cada edição, sempre haverá notas mínimas e máximas diferentes ao longo dos anos.

Mapa de itens – Com o objetivo de facilitar o entendimento dos estudantes e sociedade quanto à metodologia de cálculo das proficiências no Enem, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) criou o mapa de itens do exame. Por meio do sistema online, os interessados poderão acessar itens das provas, explicações sobre o cálculo da nota e entender como ocorre a variação da complexidade dos itens ao longo da chamada escala de proficiência.

Confira aqui o guia do Inep que explica o cálculo da nota do Enem.

Plínio Marcos e a prova do ENEM

pliniocorpo

O ENEM mandou muito bem ao usar “Uma Reportagem Maldita – Querô ” do Plínio Marcos numa questão da prova de Linguagens e suas tecnologias, nessa edição de 2013.

Uma ousadia ducaralho. Sou obrigado a parabenizar a galera do INEP/MEC.

Sem dúvida, vai ajudar a disseminar um dos melhores autores contemporâneos brasileiros.

Espero que a galera das escolas e cursinhos a estudarem uma literatura deste santista genial, na sua prosa, no seu verso e na sua imagem.

Obras como “Dois perdidos numa noite suja”, “Navalha na Carne” e o “Uma Reportagem Maldita – Querô” são as histórias dos “becos e quebradas” numa ficção estridente e fulminante. De tirar o fôlego.

É um ato importante. Obrigará as escolas a colocarem a literatura (que de marginal, só tem os cenários e personagens) para fora. É um chute na porta que permitirá muitos bons autores da segunda metade do século XX e da primeira década do século XXI entrarem e ficarem onde antes praticamente só cabia autores do século XIX.