DICAS DE ESTUDO • CURSO DE REDAÇÃO

Profª Ana Paula Dibbern (apdibbern@gmail.com)
Profº Alexandre Linares (ativando.neuronios@gmail.com)
[ Mande suas sugestões, dúvidas, dicas e reclamações! – Pode mandar elogios também! ]

AULA “REDAÇÃO E IDEOLOGIA” 
CONTINUANDO A AULA
Na aula passada, quando debatemos “Redação e Ideologia”, citamos o filme “A Onda”. Esse filme fala sobre como as pessoas podem ser manipuladas sem perceber a manipulação.
O filme A ONDA na sua versão alemã (Die Welle – 2008) pode visto aqui: https://www.youtube.com/watch?v=QBKEi8qamKM
O filme A ONDA em sua versão feita nos Estados Unidos (The Wave – 1982)  pode ser visto aqui: https://www.youtube.com/watch?v=36Rsp2aQnK4
Documentário “A Terceira Onda – Fascismos Na Escola
Um documentário produzido sobre a história original que serviu como base para os filmes citado. Ele foi produzido pelo canal History sobre a experiência levada em uma escola em Palo Alto, na Califórnia (EUA). A descrição do filme ajuda a ver a experiência Em 1967, Ron Jones, um jovem professor de História californiano, criou um estado fascista virtual dentro do seu instituto. O seu objetivo era afastar os seus alunos dos atrativos do totalitarismo e do sentimento de pertença a um grupo. Desta forma pôs em funcionamento uma audaz experiencia social que superou as suas melhores expectativas, ou melhor, os seus piores pesadelos. Os estudantes envolvidos, 30 no princípio, passaram a ser 200. Entre eles cumprimentavam-se de uma forma específica e havia uma série de informantes que agiam como membros da Gestapo. Era, em suma, uma fiel recriação das raízes do Terceiro Reich. O grau de furor que Jones provocou serviu para distanciar os seus alunos de uma crescente onda de relativismo moral, mas à custa dos estudantes ficarem marcados na vida pela lembrança nefasta do que tinham levado a cabo. Esta experiência, denominada como a Terceira Onda, foi um simples episódio na História, mas que nos serve a todos como um alerta permanente.
 
DIREITOS HUMANOS E REDAÇÃO
 
Na aula foram indicados dois documentos fundamentais para definição de parâmetros sobre os Diretos Humanos, úteis para ajudar na formulação de propostas de acordo com o 5º eixo cognitivo da Matriz do ENEM que propõe ao aluno “Elaborar propostas éticas – Recorrer aos conhecimentos desenvolvidos na escola para elaboração de propostas de intervenção solidária na realidade, respeitando os valores humanos e considerando a diversidade sociocultural“.
Recomendamos fortemente a leitura deles para uma compreensão clara deste importante conceito.
Declaração dos Direitos Humanos da ONU
(Aprovada em 1948)
 
Constituição da República Federativa do Brasil (1988)
(Título 2 “Dos Direitos”, artigos 5º ao 17º) 
 
SOBRE A PROPOSTA DE REDAÇÃO
“VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA A MULHER”

Ficamos de mandar as sugestões para estudo em casa e material de apoio para reflexões acerca dos temas das propostas de redação apresentadas nas aulas.

A proposta entregue na última aula “Violência sexual contra a mulher” é um questão social permanente. A questão já esteve presente na redação do ENEM em 2015 cujo tema foi “A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira”.

Na proposta apresentada em aula, há um elemento específico: não é violência em geral, mas a “violência sexual”.

Para a Organização Mundial da Saúde (OMS), violência sexual é “qualquer ato sexual ou tentativa de obter ato sexual, investidas ou comentários sexuais indesejáveis, ou tráfico ou qualquer outra forma, contra a sexualidade de uma pessoa usando coerção”.

Segundo a “Coordenadoria da Mulher” do Tribunal de Justiça de Sergipe “A violência sexual está baseada fundamentalmente na desigualdade entre homens e mulheres. Logo, é caracterizada como qualquer conduta que constranja a mulher a presenciar, a manter ou a participar de relação sexual não desejada; quando a mulher é obrigada a se prostituir, a fazer aborto, a usar anticoncepcionais contra a sua vontade ou quando a mesma sofre assédio sexual, mediante intimidação, ameaça, coação ou uso da força; que a induza a comercializar ou a utilizar, de qualquer modo, a sua sexualidade.

Essas definições ajudam a encarar o problema de modo mais preciso.

Abaixo, enviamos vários textos para você saber mais sobre o tema e ajudar no domínio do assunto.

Um forte abraço!

Professor Alexandre Linares

SAIBA MAIS!

O que ler para entender mais sobre o assunto? Aqui vão algumas sugestões:

Dossiê violência contra as mulheres – Capítulo: Violência Sexual
Trabalho organizado pela Agência Patrícia Galvão.
http://www.agenciapatriciagalvao.org.br/dossie/violencias/violencia-sexual/

Violência contra a mulher: entenda o que é a cultura do estupro
Artigo de Ana Elisa Santana para o portal da Agência Brasil (2016)
http://www.ebc.com.br/cidadania/2016/06/o-que-e-cultura-do-estupro

• Apenas 35% dos casos de estupro no Brasil são notificados
Reportagem da Revista Época (2016)
http://epoca.globo.com/tempo/noticia/2016/05/apenas-35-dos-casos-de-estupro-no-brasil-sao-notificados.html

Estupro no Brasil, uma radiografia segundo os dados da Saúde (2014)
Estudo do Instituto de Pesquisa Economica Aplicada (IPEA) baseada nos relatórios do sistema de saúde brasileiro.
– Os registros mostram que 89% das vítimas são do sexo feminino e em geral têm baixa escolaridade.
– Do total, 70% são crianças e adolescentes. Em metade das ocorrências envolvendo crianças, há um histórico de estupros anteriores.
– 70% dos estupros são cometidos por parentes, namorados ou amigos/conhecidos da vítima.
http://www.agenciapatriciagalvao.org.br/dossie/pesquisas/estupro-no-brasil-uma-radiografia-segundo-os-dados-da-saude-ipea-2014/

Brasil tem 1 denúncia de violência contra mulher a cada 7 minutos
Reportagem do jornal O Estado de S. Paulo
http://brasil.estadao.com.br/noticias/geral,brasil-tem-1-denuncia-de-violencia-contra-a-mulher-a-cada-7-minutos,10000019981


• Prova em caso de violência sexual: a maior barreira é a ideologia patriarcal, afirma juiz do TJSP
Em entrevista, juiz do Tribunal de Justiça de São Paulo explicando aspectos importantes da questão da interpretação legal de provas e da realidade da mulher vítima de violência sexual
http://www.compromissoeatitude.org.br/prova-em-caso-de-violencia-sexual-a-maior-barreira-e-a-ideologia-patriarcal-afirma-juiz-do-tjsp/


• 
Credibilidade da palavra da vítima como prova de violência sexual
Artigo da juíza Kenarik Boujikian
http://www.compromissoeatitude.org.br/credibilidade-da-palavra-da-vitima-como-prova-de-violencia-sexual-por-kenarik-boujikian/

CASOS COM GRANDE REPERCUSSÃO

• Estupros coletivos e feminicídio: O Caso de Castelo do Piauí
http://www.compromissoeatitude.org.br/estupros-coletivos-e-feminicidio-o-caso-de-castelo-do-piaui/

• Caso Roger Abdelmassih: médico cometia abusos sexuais em clínica de fertilização
http://www.compromissoeatitude.org.br/caso-roger-abdelmassih-medico-cometia-abusos-sexuais-em-clinica-de-fertilizacao/


BAIXE OS ARQUIVOS DAS APRESENTAÇÕES
Os arquivos das aulas estão disponíveis no site:
https://ativandoneuronios.com/curso-de-redacao-maximize/

VEJA AS PROPOSTAS DE REDAÇÃO
Também disponibilizamos os arquivos das propostas de redação:

Treino de redação # 001

A partir de hoje, quando a contagem regressiva ao ENEM atinge 150 dias, começo a sugerir um tema por dia para você treinar sua redação.

A ideia é simples: se você treinar todos os dias até a prova, com toda certeza sua redação será melhor. Você descobrirá mais palavras para enriquecer seu vocabulário e temas para desenvolver seu estudo.

Começo com a redação já aplicada no ENEM em 2012. Vou colocar aqui, dia após dia, todas as redações já aplicadas desde 1998 pelo ENEM. Depois vou formular temas e pesquisar propostas já feitas por professores na internet.

Atenção, para se dar bem na redação, sugiro que leia o manual de redação do ENEM desenvolvido pelo INEP/MEC. É só clicar aqui (em PDF).

 

PROPOSTA DE REDAÇÃO 
(aplicada na prova do ENEM de 2012)

A partir da leitura dos textos motivadores seguintes e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo em norma padrão da língua portuguesa sobre o tema O MOVIMENTO IMIGRATÓRIO PARA O BRASIL NO SÉCULO XXI, apresentando proposta de intervenção, que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

Ao desembarcar no Brasil, os imigrantes trouxeram muito mais do que o anseio de refazer suas vidas trabalhando nas lavouras de café e no início da indústria paulista. Nos séculos XIX e XX, os representantes de mais de 70 nacionalidades e etnias chegaram com o sonho de “fazer a América” e acabaram por contribuir expressivamente para a história do país e para a cultura brasileira. Deles, o Brasil herdou sobrenomes, sotaques, costumes, comidas e vestimentas.

A história da migração humana não deve ser encarada como uma questão relacionada exclusivamente ao passado; há a necessidade de tratar sobre deslocamentos mais recentes.

Disponível em: http://www.museudaimigracao.org.br. Acesso em: 19 jul. 2012 (adaptado)

 

Redacao_150
ACRE SOFRE COM INVASÃO DE IMIGRANTES DO HAITI

Nos últimos três dias de 2011, uma leva de 500 haitianos entrou ilegalmente no Brasil pelo Acre, elevando para 1.400 a quantidade de imigrantes daquele país no município de Brasileia (AC). Segundo o secretário-adjunto de Justiça e Direitos Humanos, do Acre, José Henrique Corinto, os haitianos ocuparam a praça da cidade. A Defesa Civil do estado enviou galões de água potável e alimentos, mas ainda não providenciou abrigo.

A imigração ocorre porque o Haiti ainda não se recuperou dos estragos causados pelo terremoto de janeiro de 2010. O primeiro grande grupo de haitianos chegou a Brasileia no dia 14 de janeiro de 2011.

Desde então, a entrada ilegal continua, mas eles não são expulsos: obtêm visto humanitário e conseguem tirar carteira de trabalho e CPF para morar e trabalhar no Brasil.

Segundo Corinto, ao contrário do que se imagina, não são haitianos miseráveis que buscam o Brasil para viver, mas pessoas da classe média do Haiti e profissionais qualificados, como engenheiros, professores, advogados, pedreiros, mestres de obras e carpinteiros. Porém, a maioria chega sem dinheiro.

Os brasileiros sempre criticaram a forma como os países europeus tratavam os imigrantes. Agora, chegou a nossa vez – afirma Corinto.

Disponível em: http://www.dpf.gov.br. Acesso em: 19 jul. 2012 (adaptado).
TRILHA DA COSTURA

Os imigrantes bolivianos, pelo último censo, são mais de 3 milhões, com população de aproximadamente 9,119 milhões de pessoas. A Bolívia em termos de IDH ocupa a posição de 114o de acordo com os parâmetros estabelecidos pela ONU. O país está no centro da América do Sul e é o mais pobre, sendo 70% da população considerada miserável. Os principais países para onde os bolivianos imigrantes dirigem-se são: Argentina, Brasil, Espanha e Estados Unidos.

Assim sendo, este é o quadro social em que se encontra a maioria da população da Bolívia, estes dados já demonstram que as motivações do fluxo de imigração não são políticas, mas econômicas. Como a maioria da população tem baixa qualificação, os trabalhos artesanais, culturais, de campo e de costura são os de mais fácil acesso.

OLIVEIRA, R.T. Disponível em: http://www.ipea.gov.br. Acesso em: 19 jul. 2012 (adaptado).

 

INSTRUÇÕES:
• Faça um rascunho da redação.
• Faça a redação em até 60 minutos, tempo igual ao da prova.
• O texto definitivo deve ser escrito em até 30 linhas.
• A redação com até 7 (sete) linhas escritas será considerada “insuficiente” e receberá nota zero.
• A redação que fugir ao tema ou que não atender ao tipo dissertativo-argumentativo receberá nota zero.
• A redação que apresentar proposta de intervenção que desrespeite os direitos humanos receberá nota zero.
• A redação que apresentar cópia dos textos da Proposta de Redação ou do Caderno de Questões terá o número de linhas copiadas desconsiderado para efeito de correção