Senso Comum versus Ciência – Marcelo Druyan

Pessoas, em geral, recorrem a suas próprias observações dos fatos cotidianos para constituir um conjunto de conhecimentos que lhes permita entender, de forma mais ou menos ordenada, como funciona o mundo em que vivem.

Algumas, mais que outras, defendem este empirismo como critério da verdade e tendem a adotar o senso comum em detrimento do conhecimento científico.

Esta “ciência particular” tem seus desdobramentos em filosofias pessoais, nas quais as generalizações levam a visões de mundo que se afastam ainda mais do conhecimento científico e aproximam-se do misticismo e da pseudociência.

Ainda, o empirismo descolado do pensamento crítico reúne afinidades que logo fazem surgir os líderes carismáticos, os falsos cientistas, as publicações de caráter duvidoso e todo um séqüito de crédulos. Ora desvirtuam os conhecimentos científicos e se apropriam indevidamente do rótulo da ciência; ora atacam o racionalismo científico por sua incapacidade de conceber o “transcendente”.

Não fossem os casos que, nesse contexto, tornam-se matéria policial, eu diria que o empirismo acrítico do senso comum é um problema educacional. Um Estado Laico deveria fomentar o desenvolvimento da educação científica. Continuar lendo

AIDS: HIV na mira de vacina brasileira

Notícia interessante publicada pelo pessoal do Jornal de Ciência, divulgando uma matéria interessante da revista Ciência Hoje. É animador a ciência brasileira desenvolvendo pesquisas tão importantes.

HIV na mira de vacina brasileira

Vacina contra Aids desenvolvida na USP e testada em camundongos induz maior resposta imunológica se comparada com similares. Potencial está relacionado com a capacidade de driblar a mutabilidade do vírus.

Uma nova vacina preventiva para Aids está obtendo resultados promissores em testes com camundongos. Desenvolvido por pesquisadores da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), o composto tem como diferencial conseguir driblar a principal característica do vírus HIV: sua mutabilidade.

O HIV replica-se e espalha-se muito rapidamente pelo organismo. Como não há tempo para o controle de qualidade da replicação, ocorrem erros nesse processo e o vírus muda de forma. Assim, cada pessoa infectada passa a ter uma diversidade viral.

Leia a matéria completa na Ciência Hoje On-line, que tem conteúdo exclusivo atualizado diariamente. Clique aqui para ler.

Começou a maior feira de ciências e engenharia do País

A 9ª Febrace apresenta mais de 300 projetos, criados por estudantes geniais de todas as regiões brasileiras.

Um sistema que paralisa o carro quando detecta que o motorista está alcoolizado; uma geladeira portátil movida à energia solar; um tapete que evita acidente com crianças; um guia eletrônico para cegos; uma cadeira de rodas acionada por voz. Esses são alguns dos projetos que estão à mostra na 9ª edição da Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace), que ocorre de hoje (22) a quinta-feira (24), das 14h às 19h, em uma tenda instalada no estacionamento da Escola Politécnica (Poli) da Universidade de São Paulo (USP), em São Paulo.

O ministro da Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, participa da cerimônia de abertura, e em seguida se realiza uma mesa-redonda para discutir o papel das feiras de ciências e engenharia na educação e na investigação científica. A mesa tem a participação do presidente do CNPq, Glaucius Oliva; do diretor do Departamento de Popularização e Difusão da Ciência e Tecnologia do MCT, Ildeu de Castro Moreira; do diretor de Políticas de Formação, Materiais Didáticos e Tecnologias da Educação Básica do MEC, Marcelo Campos; e do diretor de Educação Básica Presencial da Capes, João Carlos Teatini.

Nesta edição da Febrace, estão em exposição mais de 300 projetos, desenvolvidos por 670 estudantes do ensino fundamental, médio e técnico de todas as regiões do País. São projetos de diversas áreas – engenharia, ciências exatas e da terra, humanas, sociais aplicadas, biológicas, saúde e agrárias -, que foram selecionados entre 1.427 trabalhos, submetidos diretamente pelos estudantes ou por meio das 42 feiras de ciências afiliadas.

Os estudantes que mais se destacarem na Febrace também se qualificam para participar da feira internacional Intel Isef (International Science Fair), a maior competição internacional de estudantes pré-universitários, realizada anualmente nos Estados Unidos e que, em 2011, ocorre de 8 a 13 de maio, em Los Angeles, Califórnia.

A Febrace tem patrocínio e apoio institucional do MCT, do Ministério da Educação (MEC), do CNPq, da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), do Serviço Nacional da Indústria (Sesi), do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), da  Intel do Brasil, do Sebrae Nacional, do Instituto Claro, do Instituto Votorantim e da Petrobras.

Outras informações sobre a Febrace estão disponíveis neste link: http://febrace.org.br.

Fonte:  Jornal da Ciência – SBPC